James Bay Brasil

12
/09/

LADYGUNN: James Bay conta sobre a pressão do segundo álbum e qual seu objetivo na música.

Saiu nessa quarta-feira, a nova edição da revista digital da LadyGunn e nela, há um pequeno artigo, escrito pela Erica Hawkins, sobre a pressão que James Bay sofreu por causa da mudança de estilo que teve em seu segundo álbum e conta qual seu verdadeiro objetivo na música.

Confira a entrevista traduzida pela nossa equipe logo abaixo:

“Sou um pouco esquisito, mas eu meio que – isso vai soar estranho – mas eu meio que abraço minha própria honestidade nas coisas. Quem não sente pressão sob si mesmo? Mas para mim, pressão é importante. Sentir ansiedade é importante. Ter esse sentimento e curiosidade sobre o que as pessoas dizem sobre você também é importante. Seria uma droga se ninguém se importasse. Então, se eles falam algo sobre mim – seja bom ou ruim – é importante.”

Essa é a resposta de James Bay sobre a antecipação, pressão e alegria em torno do seu segundo álbum, Electric Light, que saiu em maio. Eu sei o que você está pensando e sei que está certo. Ele pode ser alto e inteligente, mas o cantor e compositor inglês está bem ciente de todos esses comentários “maldosos” e se inclina para a auto depreciação, mesmo recebendo muitos elogios.

Ele me lembra de um garoto esperto e foto da escola primaria – que não tem noção das paixões que acumula porque está ocupado demais lendo e relendo as páginas de seus livros preferidos e que não confia muito em sua aparência, – veja Bay, assim como sua música, você é encantador e atraente, sendo com cabelo grande ou com cabelos curtos.

Seu álbum de estreia, Chaos and the Calm, recebeu uma indicação ao Grammy de Melhor Álbum de Rock , e seu single “Hold Back the River” recebeu uma indicação de Melhor Canção Rock e também lhe rendeu uma nomeação como Melhor Novo Artista. Mas Bay, três anos depois, ficou mais do que feliz em abraçar todos os aspectos do nascimento de um novo álbum, usando uma energia diferente para impulsionar-se em uma nova direção. “Essa é a coisa estranha sobre mim: eu gosto desse sentimento de mudança. Havia muita tensão, pressão e ansiedade sob todas essas coisas novas, mas eu amo isso porque também amo a música que eu faço… E se não amasse, talvez não teria feito. Por mais estranho que isso possa soar.” Bay decidiu em 2016 que estava pronto para parar de fazer turnês e voltar para o estúdio: “eu senti o ardente desejo de escrever novamente. Desesperado é a palavra certa. Eu estava desesperado, animado e ansioso para escrever e ter um material novo.“.

O processo lírico após o sucesso de seu primeiro álbum não foi fácil, mas Bay não esperava que fosse. “Nada faz com que escrever uma música seja fácil, nada disso é fácil, e eu acho que é obviamente por isso que é tão especial ou tão mágico. Estranhamente dizendo, eu me aprofundei muito mais nesse segundo álbum do que no primeiro.”.

São histórias humanas que estão no centro do trabalho de James Bay, sendo elas interações românticas ou não. Todas elas têm o objetivo de afetar quem ouve. “A arte existe para mover as pessoas. Você pode dançar, chorar e até mesmo beijar alguém enquanto ouve música. Meu objetivo é mover as pessoas. E eu espero que isso aconteça sempre.“.

 

 

Fonte l Traduzido e adaptado pela equipe James Bay Brasil. Não copie ou reproduza sem os créditos!

Postado por
Arquivado em Destaque, Entrevistas
05
/09/

Concorra a 6 meses de conta premium na Deezer + discografia do James Bay!

Para divulgar e aumentar os streams do novo álbum do James Bay, decidimos fazer um sorteio em parceria com a Universal Music Brasil e com a Deezer Brasil, uma das plataformas de músicas mais acessadas da atualidade.

Serão dois sortudos, um sorteado pelo Twitter e um pelo Instagram, que levarão uma conta premium de 6 meses cada da Deezer, um Electric Light Deluxe e um Chaos And The Calm para casa.

Para concorrer a esse super prêmio, você precisa seguir as regras abaixo e torcer muito!

PARA CONCORRER UMA CONTA PREMIUM + 2 CDS NO TWITTER:

Você deve seguir os perfis do James Bay Brasil, Deezer Brasil e Universal Music Brasil no Twitter

Tuitar: “Eu quero ganhar 6 meses Premium na Deezer + um Electric Light Deluxe que o @JamesBayBra, @DeezerBR e @Umusicbrasil estão sorteando!” + um print da sua tela ouvindo sua música preferida do Electric Light na plataforma Deezer

Dar RT na publicação oficial da promoção

PARA CONCORRER UMA CONTA PREMIUM + 2 CDS NO INSTAGRAM:

Seguir os perfis do James Bay Brasil, Deezer Brasil e Universal Music Brasil no Instagram

Curtir essa publicação, responder sua música preferida do Electric Light e marcar 2 amigos

Simples, não é? A promoção é válida do dia 4 de Setembro de 2018 até 30 de Setembro de 2018.

 

REGULAMENTO:

– A promoção é válida do dia 4 de Setembro de 2018 até 30 de Setembro de 2018, conforme dito logo acima.
– O print deve ser, obrigatoriamente, na plataforma do Deezer. O descumprimento desta regra acarretará na eliminação automática.
– O participante desta promoção deve ser pessoa física e residir em território brasileiro.
– O resultado será divulgado em nosso Twitter no dia 30 de Setembro de 2018. Assim que o ganhador for divulgado, o mesmo deve entrar em contato conosco pelo Twitter para informar os dados solicitados. Caso o contato não seja efetuado em 24 horas, o ganhador perderá o direito ao prêmio, sendo feito outro sorteio nas mesmas condições do anterior.
– O acesso à conta da Deezer é de total responsabilidade da equipe do Deezer Brasil.
– O envio dos discos é de responsabilidade do James Bay Brasil. Nós não nos responsabilizamos pelos atrasos e avarias ocorridas nos Correios.
– É vedada a participação de pessoas jurídicas, membros do James Bay Brasil, bem como de cônjuges e parentes consanguíneos ou afins, até o terceiro grau, dos membros do fã-site.
– Os participantes declaram concordar com a utilização de seus nomes para divulgação do resultado da promoção sem qualquer bônus para os promotores do concurso.

Postado por
Arquivado em Uncategorized
04
/09/

#HappyBirthdayJamesBay: Parabéns, James Bay!

James Michael Bay ou apenas James Bay, completa seus 28 anos nessa terça-feira, 4 de Setembro de 2018 e nós, do James Bay Brasil, separamos uma mini retrospectiva com os melhores momentos do músico desde que voltou de seu hiatos, iniciado em 29 de Novembro.

Para começar a nova fase de sua vida, no dia 30 de Novembro, James Bay apagou todas as fotos de seu Instagram e publicou apenas três fotos mostrando estar trabalhando no novo álbum. – Não é preciso dizer que fomos a loucura com isso.

No dia 12 de Novembro, James Bay deu o que falar quando apareceu ao MTV Europe Music Awards com os cabelos cortados e sem o famoso chapéu. No mesmo dia, James Bay disse que seu álbum estava pronto e que logo logo, os fãs iriam saber sobre o seu disco novo.

No dia 8 de Fevereiro, James Bay deu um grande passo aos charts. Seu single novo, conhecido como Wild Love, estreava ao redor do mundo. Muitas pessoas estranharam o novo estilo de Bay, mas o mesmo disse que a faixa – assim como o álbum todo – foi uma reintrodução para ele mesmo como artista e foi um exercício de evolução para ele.

Que James Bay é uma ótima pessoa e que tem um ótimo coração nós já sabemos. Mas para confirmar tal fato, James Bay – assim como muitos artistas – doou todos os lucros de sua música “Hold Back The River” para o Plastic Oceans, uma instituição que luta pela conservação da marinha em Fevereiro. Para lembrar, Hold Back The River vendeu mais de um milhão de cópias e obteve nove álbuns de platina.

Um dos dias mais marcantes de sua nova fase, assim como para seus fãs, foi no dia 7 de Março, quando James Bay – finalmente – anunciou seu novo álbum, Electric Light, e lançou uma nova música de trabalho, intitulada como Pink Lemonade.

No dia 19 de Abril, James Bay lançou mais um clipe de seu novo álbum, sendo ele da faixa “Us”, que mostra que todos merecem amor, sendo ele em diferentes formas.

O dia 23 de Abril fica marcado como um dos dias mais felizes e importantes para James Bay. Neste dia, Bay anunciou em suas redes sociais que abriria um show para sua banda preferida – The Rolling Stones – em Londres. Bay postou em seu Twitter que era uma honra e que mal conseguia acreditar que isso era real.

Maio teve grandes momentos – precisamente o dia 18 de Maio – quando James Bay lançou seu segundo álbum, “Electric Light”, disco que se tornou o assunto mais comentado no Twitter. Além disso, o disco recebeu nota máxima no Metacritic e ocupou o primeiro lugar ao redor do mundo – Reino Unido, Portugal, Grécia, Brasil, Singapura e entre outros. Além disso, James Bay marcou presença em vários programas de televisão – entre eles o The Voice USA, onde pode cantar com a cantora Alicia Keys- e festivais importantes, como por exemplo, o The Biggest Weekend, onde cantou com o Shawn Mendes.

Em Junho, James Bay escreveu uma carta aberta para a comunidade LGBTQ e mostrou seu total apoio à aos seus fãs e às pessoas que vivem com medo de se assumirem.

No mesmo mês, ocorreu o show em que James Bay tocou com os seus ídolos da banda The Rolling Stones, – finalmente – além de abrir para a banda, James Bay foi convidado a cantar sua música preferida com eles.

Em Julho, enquanto estava em turnê, James Bay lançou mais um clipe de seu novo álbum, da música “Just For Tonight”, onde mostra bastidores da turnê e seu contato com os fãs.

Em Agosto, James Bay tocou em mais outros festivais grandes, como por exemplo, o Lollapalooza Chicago, onde obteve uma de suas maiores plateias.

Esses foram alguns dos muitos momentos importantes que James Bay teve esse ano, e sabemos que haverá muito mais! Além de músico, artista, desenhista, Bay possui um enorme talento e coração.

Nós, do James Bay Brasil, desejamos muita saúde, sabedoria e sucesso ao nosso ídolo e esperamos que ele continue sendo sempre esse ser humano maravilhoso que nos motivou a criar isso e cuidar com muito amor.

E você, qual sua mensagem de aniversário para o Bae? <3

 

 

 

 

Postado por
Arquivado em Destaque
06
/08/

James Bay concede entrevista no backstage do Lollapalooza em Chicago.

James Bay tocou no Lollapalooza em Chicago na última sexta feira (3), e conversou com o Nate Hertweck, redator do site “Grammy.com” no backstage do festival. Confira:

O cantor e compositor James Bay é entre outras coisas, um amante de música bem versátil. Desde seu álbum de estreia, “Chaos And The Calm” ao seu novo álbum “Electric Light”, ele usou muitas variedades de estilo de música como inspiração.

Não só as influências chamam atenção, e sim o modo de como ele traz à vida em sua música.

Nate Hertweck: Você acabou de lançar a sua versão de “The Best”, de Tina Turner. Por que você escolheu essa música?

James Bay: Foram dois motivos, na verdade. O primeiro é que sempre amei essa música. E também porque pareceu inesperado. Acho que é divertido pegar as pessoas desprevenidas.

Nate Hertweck: Você tem um alcance musical muito grande e seu novo álbum demonstra isso. Musicalmente falando, como você escolheu a direção que queria tomar com “Electric Light”?

James Bay: Eu só não queria me apoiar nas mesmas influências que tive no primeiro álbum, que foram artistas como Bruce Springsteen, Ryan Adams e Adele. Para o segundo álbum, artistas como Prince, Michael Jackson, David Bowie, Frank Ocean e Lorde me inspiraram muito. Eu estava ouvindo muito esses artistas enquanto pensava na ideia do segundo álbum. Foi assim que tudo começou.

Nate Hertweck: “Pink Lemonade” surpreendeu as pessoas por muitos motivos e um deles foi à mudança de estilo na música. Você pode me contar como foi escrevê-la e como a encaixou no álbum?

James Bay: Ela é o tipo de música versátil. Você pode toca-la num ritmo lento com um piano sob uma luz meio jazzística ou numa guitarra com um toque de rock alternativo. Minha ideia era que ela se tornasse uma balada lenta, mas John Green, com quem fiz o álbum, me mostrou que seria melhor de um jeito mais animado. Estávamos juntos, ele no piano e eu na bateria, e tocamos “Pink Lemonade” pela primeira vez e amamos. Usamos também a Fender, uma guitarra que amo e a combinação foi perfeita. A música nasceu assim.

Nate Hertweck: Fora a música, quais são seus hobbies preferidos?

James Bay: Jogar futebol. Sou um grande fã de futebol. Amo jogar futebol. Também gosto de desenhar, faço isso desde pequeno. Gosto também de sair e conversar com pessoas por um longo período de tempo. Gosto de viver.

 

Fonte | Tradução e adaptação: Equipe James Bay Brasil – Não reproduzir sem os créditos.

 

 

 

Postado por
Arquivado em Destaque
29
/07/

“Já estou escrevendo músicas para o novo álbum”, diz James Bay.

Antes de subir ao palco do Mad Cool, James Bay conversou com o pessoal do El Pais, um dos jornais de grande prestigio na Argentina, e ele afirmou que está trabalhando em novas músicas para o novo álbum. Bay disse: “O processo de fazer o Electric Light foi muito rápido. Eu entendo o porque das pessoas quererem um álbum por ano dos artistas. Eu senti que fiquei em turnê muito tempo com o meu primeiro álbum e eu sabia também que precisava de um tempo para descansar. No começo de 2017, eu comecei a escrever o Electric Light e em apenas seis meses, ele estava pronto. Eu passei a segunda metade do ano arrumando alguns detalhes, então não demorou tanto. Mas eu já comecei a escrever para o próximo e sei que meus fãs estão prontos para ouvir mais músicas.”

Após ser perguntado sobre a escolha do nome “Electric Light“, James explicou que era o que mais se encaixava. “Escolher o nome do álbum é muito difícil ou muito fácil. Eu só queria que combinasse com o som e com a atmosfera. Electric Light só pareceu certo. É aquela sensação de quando você acende a lâmpada de um quarto e ele se ilumina rapidamente e mostra uma nova energia. Eu quis capturar isso. Pareceu-me o título perfeito.”

Quando é perguntado sobre o quanto ele mudou, Bay se anima para falar que mudou muito desde o começo de sua carreira e confessa que teve problemas no começo.“Eu refleti muito no primeiro álbum e a jornada que eu passei com as músicas do Chaos And The Calm. Eu tenho muito orgulho de toda essa experiência, foi o começo de uma experiência maior na qual eu ainda estou. Quando eu comecei, eu me sentia um pouco mais envergonhado com as coisas, porque você sente que está tentando trabalhar quem você é e como você quer que as pessoas te vejam. Agora, eu tenho mais confiança, porque muitas e muitas pessoas me disseram que gostam da minha música e isso me faz sentir bem e me dá confiança. Mas no começo, você tem esse sentimento de impostor e você sente que é uma versão falsa de quem você é realmente e você precisa aprender e entender que você não tem que revelar seu eu mais profundo, você só tem que ser verdadeiro, mostrar para as pessoas uma pessoa de verdade.”

Confira a entrevista legendada abaixo:

 

Postado por
Arquivado em Destaque
27
/07/

James Bay dá entrevista ao The Music Podcast durante o Splendour In The Grass 2018.

O Splendour In The Grass ocorreu nos dias 20, 21 e 22 de Julho na Austrália e James Bay teve o privilégio de ser uma das atrações principais ao lado de cantores como Kendrick Lamar, MGMT e Ben Howard.

Minutos antes de subir ao palco, James Bay cedeu entrevista ao The Music Podcast e nós, do James Bay Brasil, separamos as melhores perguntas para vocês.

No incio da entrevista, o entrevistador Neil Griffiths diz que é uma honra receber o James Bay aos estúdios e pergunta como James está se sentindo por ser a atração principal do festival.

James Bay responde: “Talvez seja o festival em que estou mais animado em tocar. Está de noite e eu amo tocar nesses horários. Claro, é muito legal tocar de dia, com as pessoas se animando e tal, mas é sempre muito legal tocar a noite. A única coisa ruim agora é esse frio, porque é desafiador tocar guitarra com os dedos congelando.”

Ao ser perguntado sobre a Austrália, Neil começou perguntando sobre a primeira vez em que James esteve lá para divulgar o Electric Light.

Neil: Você veio para a Austrália pela primeira vez divulgar o Electric Light, certo? Como se sente vendo ele ser vendido no mundo todo?

James: Já vim para a Austrália algumas vezes, mas para tocar em festival é a primeira vez. Sobre o álbum, vê-lo disponível é uma das melhores sensações. Há um certo nervosismo ao seu redor nas semanas antes do lançamento. Fazê-lo foi realmente muito animador. Para mim é realmente gratificante e ver que meus fãs sentem o mesmo me faz feliz. Hoje, faz mais ou menos três meses que ele foi lançado e estar aqui, na Austrália, tocando ele pela primeira vez em um show, é demais.

Neil: E como foi vir para Austrália agora?

James: Chegamos noite passada. Fomos para Jakarta, na Indonésia, onde eu nunca estive antes e o voo estava 14 horas atrasado, o que foi irritante.

Neil: O que fizeram durante essas 14 horas?

James: Ficamos em casa e passeamos pela Inglaterra. Estava um calor enorme porque era verão… O engraçado foi que compramos regatas, shorts e chinelos para ir para a Indonésia e quando chegamos aqui na Austrália estava muito frio.

Neil não pode deixar de citar The Rolling Stones e fez uma leve brincadeira ao fazer a pergunta ao James, que demorou um pouco para entender que era uma brincadeira.

Neil: Vi que você foi o ato de abertura para uma banda pequena chamada The Rolling Stones. Estou certo?

James: Sim. Foi muito legal mostrar apoio à eles… Eles estão se saindo muito bem!

Neil: Você deu um toque no ombro de Mick Jagger e disse que ele estava indo bem?

James: Sim, disse à ele para continuar perseguindo seu sonho.

Neil: Falando sério agora, o que vocês fizeram e conversaram durante o backstage?

James: Eles são adoráveis. Acho que é isso que te carrega ao longo dos anos como uma das melhores bandas do mundo. Além de serem ótimos músicos, eles são pessoas maravilhosas. Antes do sound check, eles me convidaram para cantar com eles e acho que nunca serei capaz de superar aquilo. Foi uma honra fazer parte daquele momento.

Depois, Neil perguntou quais são os planos do James para o resto do ano e Bay respondeu que seria fazer mais shows. “Quero muito continuar tocando ao redor do mundo com as músicas novas.”

Sobre músicas novas, James Bay disse que ao contrário da turnê do Chaos And The Calm, ele vai focar em escrever mais músicas novas durante a turnê do Electric Light. “Além de tocar, quero focar em trabalhar em novas músicas. Quero ver o que mais sou capaz de oferecer aos meus fãs. Eu já comecei a escrever alguns e está tudo sob controle.” 

Assista a entrevista do James sem legenda abaixo (a partir do minuto 6:08)

 

Postado por
Arquivado em Destaque
25
/07/

#AskAnythingChat: James Bay responde 6 perguntas dos fãs.

Após o lançamento do Electric Light, James Bay participou do AskAnythingChat, no Youtube. As perguntas foram feitas por fãs através dos comentários e separamos as melhores partes da entrevista. Leia abaixo:

Carolyn: Oi James, eu olhei as datas da turnê… Você é o homem mais trabalhador no mundo da música?
James: Sim, eu sou.

Alice: Eu gosto muito da sua música. Qual foi sua inspiração para seu segundo álbum, Electric Light?
James: Teve muita inspiração para o meu segundo álbum. Para mim, uma das coisas mais divertidas de fazer foi mergulharem todas as músicas das quais eu não peguei muita inspiração ao fazer meu primeiro álbum. Tem muitas outras músicas que eu gosto. Meu primeiro álbum foi inspirado por pessoas como Bruce Springsteen, Kings Of Leon, Carole King, Ryan Adams e pessoas diferentes como essas. Mas tem muito mais músicas que eu gosto. Então esse próximo álbum foi inspirado por pessoas como David Bowie, Prince, Michael Jackson, Frank Ocean, The Strokes, Lord, Blondie… todas essas músicas diferentes. E foi muito divertido ir para esse lugar e explorar essas minhas inspirações.

Milika: Gostaria de saber se tem um lugar, uma cidade ou um local onde você se sente inspirado ou em paz?
James: Eu acho que fazer o Electric Light em casa, em London, é onde particularmente eu me sinto em paz e eu acho mais fácil me inspirar lá. Ou pelo menos eu senti isso enquanto fazia esse álbum. Porque eu fiz meu primeiro álbum na América, em Nashville, e foi uma experiência incrível, mas definitivamente queria mudar a experiência e tentar algo diferente. Eu estive viajando e fazendo tantas turnês que parece certo e melhor estar em casa. Então eu fiquei em London para fazer esse álbum.

Nia: Gostaria de saber qual sua coisa preferida e o maior desafio de estar em turnê?
James: Minha coisa preferida e o maior desafio de estar em turnê? Minha coisa preferida de estar em turnê… Minha coisa preferida de estar em turnê honestamente é exatamente para que serve a turnê. É ir ver todos os fãs, todos esses lugares diferentes e tocar em shows para eles. Essa é a melhor coisa de estar em turnê. É pra isso que saímos em turnê. Porque, se você gosta de tocar ao vivo, você quer ir até aos fãs e se conectar com eles. É isso que você tem que fazer. Através da música também. É ótimo compartilhar esses momentos. O maior desafio de estar em turnê… o maior desafio de estar em turnê pode ser o que todo mundo diz. Estar longe daquelas pessoas que você ama. E isso é uma merda. Mas quando você está realmente em turnê, tentar encontrar um bom lugar para comer nem sempre é a coisa mais fácil. Então eu acho que às vezes isso é difícil. Às vezes é muito fácil. Às vezes é difícil.

Sita: O que você tinha na cabeça quando escreveu Pink Lemonade?
James: Tinham algumas coisas diferentes na minha cabeça quando eu escrevi Pink Lemonade. Eu estava relembrando de quando eu tinha uns 13 anos e tinham bandas como Kings Of Leon e The Strokes que estavam lançando muitas músicas incríveis. Como guitarrista, eu não gostava muito dessa música naquela época. Eu gostava dos Rolling Stones, pessoas como Stevie Ray Vaughan, pessoas desse tipo. E eles eram artistas mais antigos, mas as músicas de guitarra que estavam saindo eram de pessoas como The Strokes e Kings Of Leon. E eu sabia que era bom. Mas demorou um tempo para que eu gostasse. Eu estava relembrando quando escrevi Pink Lemonade, e escutando artistas como esses e realmente mergulhando nesses sons. E eu queria muito fazer esse tipo de som. Então eu peguei muito inspiração dessas bandas. E em termos de música eu estava relembrando do sentimento de quando você é uma criança e você é muito novo para estar longe dos seus pais, mas você tem esse primeiro sentimento adulto de “eu estou saindo de casa. Eu preciso ir”. E você anda pela rua por uns dois quarteirões e então você volta. Sua mãe vai te buscar. É estranho como isso foi uma das coisas que eu pensei enquanto escrevia Pink Lemonade. Eu não sei o porquê. Enfim.

Erika: Se você comprasse um iate, qual nome você daria?
James: Essa é uma boa pergunta. Se eu comprasse um iate, qual nome eu daria? Eu não sei. Se eu comprasse um iate… Você literalmente pode colocar qualquer nome em um iate. Eu daria o nome de… The Beautiful Mysterious. Porque eu estou no hotel e tem essas palavras escritas nesta janela. Então eu escolhi as palavras que eu vi pela janela. The Beautiful Mysterious seria o nome do meu iate.

 

O vídeo sem legenda você pode assistir logo abaixo:

 

 

Postado por
Arquivado em Destaque
25
/07/

“Acima de tudo isso, ainda sou eu.” James Bay fala sobre mudança e álbum novo.

Durante a divulgação do Electric Light, há dois meses, James Bay esteve nos estúdios Entertainment Tonight em Los Angeles e falou sobre o seu primeiro álbum, Chaos And The Calm e sobre a mudança que quis fazer durante o processo de criação do Electric Light.

James Bay também falou sobre sua namorada, casamento, Saturday Night, fãs e ídolos.

Confira a entrevista legendada por nós:

Postado por
Arquivado em Destaque
25
/07/

James Bay lança clipe de Just For Tonight.

Depois de lançar clipe para Wild Love, Pink Lemonade e Us, é a vez de Just For Tonight.

O clipe mostra um pouco dos bastidores da turnê, imagens de James no palco e seu contato com sua equipe e fãs.

A gravação e produção é do Jackson Ducasse.

Confira:

 

Postado por
Arquivado em Destaque
23
/07/

#ELECTRICLIGHT: CONFIRA A LETRA E TRADUÇÃO DE CONFIRMATION:

Confirmation – Confirmação

I hold the door, hail a cab
(Eu seguro a porta, chamo um táxi)

Make sure you get home alright
(Me certifico de que você chegará bem em casa)

When you hold my hand, you let it go
(Quando você segura minha mão, você a solta)

As soon as people pass us by
(Assim que as pessoas passam por nós)

I just need some confirmation, confirmation, confirmation
(Eu só preciso de uma confirmação, confirmação, confirmação)

Just a little talk no heavy conversation
(Só uma simples conversa, sem brigas)

Confirmation. confirmation, confirmation
(Confirmação, confirmação, confirmação)

Come on
(Vamos lá)

Don’t put me on pause
(Não me coloque em “pausa”)

Don’t put me on stand by
(Não me deixe “em espera”)

Whatever you want I’ll comply
(O que quer que você queira, eu aceitarei)

You’re missing my calls
(Você não atende minhas ligações)

You’re letting us land slide
(Você está nos deixando escapar)

I just need some confirmation, confirmation, confirmation
(Eu só preciso de uma confirmação, confirmação, confirmação)

You say it how you wanna say it
(Chame isso como quiser)

Tell me play by play what to say
(Diga-me frase por frase o que dizer)

Feed me all my lines
(Alimente-me com todas as minhas falas)

Give me attitude and all the tools
(Dê-me atitude e todas as ferramentas)

So I can make you mine
(Para que eu possa te tornar minha)

I just need some confirmation, confirmation, confirmation
(Eu só preciso de uma confirmação, confirmação, confirmação)

Just a little talk no heavy conversation
(Só uma simples conversa, sem brigas)

Confirmation. confirmation, confirmation
(Confirmação, confirmação, confirmação)

Come on
(Vamos lá)

Don’t put me on pause
(Não me coloque em “pausa”)

Don’t put me on stand by
(Não me deixe “em espera”)

Whatever you want I’ll comply
(O que quer que você queira, eu aceitarei)

You’re missing my calls
(Você não atende minhas ligações)

You’re letting us land slide
(Você está nos deixando escapar)

I just need some confirmation, confirmation, confirmation
(Eu só preciso de uma confirmação, confirmação, confirmação)

You say it how you wanna say it
(Chame isso como quiser)

One more night
(Mais uma noite)

Maybe I will make you mine
(Talvez eu te torne minha)

One more night
(Mais uma noite)

Maybe I will see the signs
(Talvez eu veja os sinais)

One more time
(Mais uma vez)

Oh yes, I know, I don’t want to go home
(Sim, eu sei, eu não quero ir para casa)

I just need some confirmation, confirmation, confirmation
(Eu só preciso de uma confirmação, confirmação, confirmação)

Confirmation, said confirmation
(Confirmação, eu disse confirmação)

Don’t put me on pause
(Não me coloque em “pausa”)

Don’t put me on stand by
(Não me deixe “em espera”)

Whatever you want I’ll comply
(O que quer que você queira, eu aceitarei)

You’re missing my calls
(Você não atende minhas ligações)

You’re letting us land slide
(Você está nos deixando escapar)

I just need some confirmation, confirmation, confirmation
(Eu só preciso de uma confirmação, confirmação, confirmação)

You say it how you wanna say it
(Chame isso como quiser)

Postado por
Arquivado em Destaque