Em 24 de Julho deste ano, James Bay concedeu entrevista à versão online da revista Windy City Times. Enquanto esperava para subir ao palco em Chicago, o cantor conversou com Jerry Nunn sobre vários temas, incluindo sua relação com George Ezra e Sam Smith e o apoio que seus pais lhe dão na carreira musical.

James começa contando que começou a tocar aos 11 anos, inspirado pela canção Layla, de Eric Clapton; ele revela que ela o mudou para sempre, e que seus riffs não saíram da cabeça do jovem Bay até que ele aprendesse a tocá-la, o que eventualmente ele conseguiu sozinho.

Em seguida, James expressa sua ansiedade em tocar novamente no Lollapalooza, e conta que sua primeira apresentação nele foi uma das melhores de sua vida.

E o cantor britânico parece ser incansável! Dos 11 anos até agora, entre composições e arranjos, James não parou um só minuto de trabalhar com a música.

Por isso, quando indagado sobre a quantidade de shows que anda fazendo e se ele não descansa, Bay responde “Serei honesto com você, não quero. Quero descansar quando for bem mais velho, mas agora, não é preciso. Não é a hora. No final de 2016, terminei a turnê e tive que recusar convites de lugares que nunca havia ido antes porque precisava fazer novas músicas e relaxar um pouco. Também tirei férias, então agora não é hora de descansar. Já fiz isso.”

Mas nós bem sabemos que esse período de férias não fez 100% de jus ao nome, não é verdade Baes? Afinal, Electric Light está entre nós! Ainda na temática férias, James afirma ter passado suas mais recentes em Grenada no Caribe e que gostou muito do local.

Em seguida, Jerry muda um pouco o tom da conversa e pergunta a James sobre seus amigos. Ele comenta que a primeira vez que ouviu o trabalho de James foi através de George Ezra, que mostrou-lhe a música de Bay durante uma entrevista.

Muito afetuoso, James fala sobre George: “Ele é como um irmão para mim. Somos musicalmente relacionados pois temos o mesmo agente. Somos bem interligados um ao outro. Ele tem um talento incrível.”

Ele continua a resposta relembrando ainda que ele, George Ezra e Sam Smith tocaram juntos em Londres, abrindo show para a artista Laura Mvula.

Nunn pergunta ainda se James sabia sobre a homossexualidade de Sam Smith na época e a resposta de Bay foi: “Eu não sei. É uma boa pergunta. Acho que demorou um pouco para que ele pudesse se abrir globalmente sobre isso. Mas quem se importa com isso? Eu o amo e quebraria meu coração se ele não estivesse se sentindo bem sobre isso. Ele é o melhor artista que poderia conhecer.” O cantor de ‘Us’ ainda  conclui dizendo: “Seja quem você quiser e não tenha medo e vergonha de ser quem você é. Tente se divertir e espalhe todo o seu talento pelo mundo todo.”

James afirma ainda que seus pais estão orgulhosos de seu sucesso e expressa sua alegria por eles sempre terem apoiado as empreitadas musicais dele e do irmão: “Eles só se sentiam felizes por nós estarmos felizes.”

No final da entrevista, James é questionado se gostaria de atuar. De forma bem humorada, ele responde que não sabe se seria bom nisso e que no momento a única coisa que quer fazer é turnês pelo mundo inteiro.

Fonte | Tradução e adaptação: James Bay Brasil – Não reproduzir sem os créditos.