O Splendour In The Grass ocorreu nos dias 20, 21 e 22 de Julho na Austrália e James Bay teve o privilégio de ser uma das atrações principais ao lado de cantores como Kendrick Lamar, MGMT e Ben Howard.

Minutos antes de subir ao palco, James Bay cedeu entrevista ao The Music Podcast e nós, do James Bay Brasil, separamos as melhores perguntas para vocês.

No incio da entrevista, o entrevistador Neil Griffiths diz que é uma honra receber o James Bay aos estúdios e pergunta como James está se sentindo por ser a atração principal do festival.

James Bay responde: “Talvez seja o festival em que estou mais animado em tocar. Está de noite e eu amo tocar nesses horários. Claro, é muito legal tocar de dia, com as pessoas se animando e tal, mas é sempre muito legal tocar a noite. A única coisa ruim agora é esse frio, porque é desafiador tocar guitarra com os dedos congelando.”

Ao ser perguntado sobre a Austrália, Neil começou perguntando sobre a primeira vez em que James esteve lá para divulgar o Electric Light.

Neil: Você veio para a Austrália pela primeira vez divulgar o Electric Light, certo? Como se sente vendo ele ser vendido no mundo todo?

James: Já vim para a Austrália algumas vezes, mas para tocar em festival é a primeira vez. Sobre o álbum, vê-lo disponível é uma das melhores sensações. Há um certo nervosismo ao seu redor nas semanas antes do lançamento. Fazê-lo foi realmente muito animador. Para mim é realmente gratificante e ver que meus fãs sentem o mesmo me faz feliz. Hoje, faz mais ou menos três meses que ele foi lançado e estar aqui, na Austrália, tocando ele pela primeira vez em um show, é demais.

Neil: E como foi vir para Austrália agora?

James: Chegamos noite passada. Fomos para Jakarta, na Indonésia, onde eu nunca estive antes e o voo estava 14 horas atrasado, o que foi irritante.

Neil: O que fizeram durante essas 14 horas?

James: Ficamos em casa e passeamos pela Inglaterra. Estava um calor enorme porque era verão… O engraçado foi que compramos regatas, shorts e chinelos para ir para a Indonésia e quando chegamos aqui na Austrália estava muito frio.

Neil não pode deixar de citar The Rolling Stones e fez uma leve brincadeira ao fazer a pergunta ao James, que demorou um pouco para entender que era uma brincadeira.

Neil: Vi que você foi o ato de abertura para uma banda pequena chamada The Rolling Stones. Estou certo?

James: Sim. Foi muito legal mostrar apoio à eles… Eles estão se saindo muito bem!

Neil: Você deu um toque no ombro de Mick Jagger e disse que ele estava indo bem?

James: Sim, disse à ele para continuar perseguindo seu sonho.

Neil: Falando sério agora, o que vocês fizeram e conversaram durante o backstage?

James: Eles são adoráveis. Acho que é isso que te carrega ao longo dos anos como uma das melhores bandas do mundo. Além de serem ótimos músicos, eles são pessoas maravilhosas. Antes do sound check, eles me convidaram para cantar com eles e acho que nunca serei capaz de superar aquilo. Foi uma honra fazer parte daquele momento.

Depois, Neil perguntou quais são os planos do James para o resto do ano e Bay respondeu que seria fazer mais shows. “Quero muito continuar tocando ao redor do mundo com as músicas novas.”

Sobre músicas novas, James Bay disse que ao contrário da turnê do Chaos And The Calm, ele vai focar em escrever mais músicas novas durante a turnê do Electric Light. “Além de tocar, quero focar em trabalhar em novas músicas. Quero ver o que mais sou capaz de oferecer aos meus fãs. Eu já comecei a escrever alguns e está tudo sob controle.” 

Assista a entrevista do James sem legenda abaixo (a partir do minuto 6:08)