Em abril de 2018, James Bay cedeu uma entrevista bem descontraída e divertida a Amy Brooks, que integra a equipe da ALT 92.9, conhecida rádio americana, com sede em Boston.

James aparece trajando seu icônico macacão temático do filme Os Caça-Fantasmas, ele conta que o encontrou em L.A. e que o vendedor da loja disse que este é o original do filme (apesar do próprio James dizer que não tem certeza, já que conseguiu comprá-lo pela bagatela de 30 dólares). Ainda falando sobre seu visual, Amy pergunta a James sobre o porquê de as pessoas estranharem tanto sua nova aparência, ambos riem e chegam à conclusão de que não têm ideia do motivo. James complementa, explicando mais uma vez que decidiu mudar de aparência porque quando ouviu o resultado final de “Wild Love” ela não parecia combinar com o cara dos cabelos longos e chapéu, e que ele enquanto artista precisa estar se renovando sempre, “não faz sentido reciclar material antigo” ele conclui.

 Mais uma vez, James comenta sobre as grandes artistas que o inspiraram a compor o Electric Light. Ele diz que começou ouvindo aos artistas que estava acostumado e gostava, como Michael Jackson e The Strokes, mas que sentiu a necessidade de mudar, pois ele estava estagnado em seu processo criativo já que seus antigos ídolos não o inspiravam mais como antes. Então ele expandiu seus horizontes e começou a ouvir mais de Frank Ocean, Lorde, LCD Soundsystem e isso automaticamente acabou sendo refletido em seu trabalho.

James comenta ainda sobre as respostas positivas que teve com o segundo álbum, mais especificamente com a música Pink Lemonade, dizendo que algo incrível aconteceu no Outside Lands em São Francisco. James ficou impressionado, pois nesse festival, eles deveriam tocar por volta das 18:30h, contudo, precisavam viajar no mesmo dia para a Austrália e a única forma de fazer isso era adiantando seu vôo. Assim sendo, precisou passar seu set para as 14:30h, o que o desanimou um pouco, já que este é considerado um horário ruim em festivais, ainda mais para quem não está tocando no palco principal. Mas, na hora do show, ele disse que ficou abismado com a quantidade de pessoas: em média 3.000, que cantavam o mais alto que podiam, com ele, todas as suas músicas, em especial “Let It Go”. Meses mais tarde, ele conta que descobriu que, o público daquele dia não foi de 3.000 pessoas e sim de 20.000, espalhadas até pela lateral do palco. “Foi um momento incrível” – ele admite.

Alguns minutos depois, Amy pergunta a Bay qual a diferença, para ele, entre tocar no Reino Unido e nos E.U.A. Ele responde que só existe uma diferença crucial entre tocar em Los Angeles, Nova York e Londres: “Esses três lugares são sempre as “capitais” dos festivais e shows, então, em toda turnê você fará show lá. Mas quando você toca em Boston ou Manchester, eles estão muito mais animados, porque é mais difícil shows nessas cidades, ou pelo menos, é isso que sinto do palco” diz ele. Bay continua dizendo que um dos seus lugares favoritos de se apresentar é Boston, pois lá sempre tem uma energia impressionante e que não se encontra em lugar algum.

Bay e Amy conversam ainda, brevemente, sobre lugares em que os shows não são animados, mas ele não revela muitos detalhes sobre esses locais, apenas brinca “Existem alguns shows em que você fica tipo ‘você não precisa se sentar…'”

“Se você pudesse escolher qualquer pessoa com a qual ainda não tocou, quem escolheria?” foi a pergunta seguinte, que James respondeu com uma velocidade e certeza incomparáveis “Dave Grohl” e, então, completou “ou Beyoncé, quem não escolheria a Beyoncé?”

A entrevista é encerrada com um breve bate-papo sobre a agenda de shows de James para o verão, e, eles relembram juntos, que James participará de um mesmo festival que se apresentou em 2016. James brinca dizendo que “esse festival acontece por mais tempo do que deveria”, e revela que, na maioria dos lugares, os membros da banda compram blusas nas cidades que mais gostam, porém, acabam nunca usam no palco por ser muito calor. Só que em Boston “cada um pode usar, pelo menos, duas de suas blusas favoritas”, já que costuma fazer muito frio. Amy entra na brincadeira, dizendo que espera que esteja um pouco mais quente neste ano, já que eles tocarão em Setembro.

O vídeo da entrevista sem legenda você assiste aqui.