Corte de cabelo novo. Roupas novas. O novo visual de James Bay já demonstrava que o artista está mesmo disposto a começar uma nova fase em sua carreira.

Mais estiloso e descolado, ele concedeu uma entrevista à Melony Torres, na última sexta-feira, 26.

Na ocasião, ele comentou que além da repaginada no visual, também se afastou por todo esse tempo para fazer novas músicas, já que ficou mais tempo do que planejava em turnê, divulgando Chaos and The Calm.

Ele disse ainda que sempre se diverte bastante nas turnês, e por isso não resiste aos convites para tocar em novos e mais espaçosos lugares e também revisitar as  casas de show que o acolheram tão bem. Com isso, ele conta que gastou um total de 4 anos na estrada.

Mas, admitiu ainda que chega uma hora em que ele precisa colocar musicas novas no set e, para isso, precisa sair da estrada, parar e focar em fazer músicas novas. Que gastou a maior parte de 2017 fazendo isso e agora está tudo pronto e pronto para ser lançado, já que ele não gosta de divulgar informações antes de ter certeza.

James é muito grato aos fãs e a todos que o ajudaram a conquistar tudo o que conseguiu em seu primeiro álbum. “Eu viajei pelo mundo algumas vezes. No Reino Unido, ele (o álbum) me fez ganhar um BRIT Awards e nos Estados Unidos ele foi nomeado ao Grammy. Ele me fez tocar no Grammy.  Eu conquistei muito com ele e é por isso que eu queria tanto continuar em turnê, mas sempre chega o momento em que o mais inteligente a fazer é parar e começar de novo.”

Ele passou todo esse tempo em Londres,  com seu amigo, John Green (antigo parceiro musical) que, segundo James, é um ótimo compositor. A dupla dinâmica fez a maioria das músicas do novo álbum juntos.

Uma delas, inclusive, foi produzida por Paul Epworth (Adele, Florence + The Machine, Bloc Party). Durante todo o processo criativo e de execução do segundo álbum, James optou por um grupo seleto e pequeno.

“É tudo sobre evolução” conta Bay, “Chaos and The Calm” foi o primeiro capítulo, está na hora do capítulo 2, está na hora de evoluir e testar coisas novas. Isso significa que o som amadureceu, que ele mudou. Eu não esperaria que nenhum dos meus fãs fossem os mesmos que eles eram 05 anos atrás ou quando descobriram minha música. Então, é divertido evoluir e trazê -los comigo. Há algumas similaridades, que eles serão capazes de perceber e que formam uma ponte com o primeiro álbum. Mas este é também um novo capítulo e uma nova parte da jornada.”

James revela que pretende obter com o segundo álbum o dobro do primeiro. Ele deseja multiplicar o que já fez antes: Espalhar sua música para atrair mais pessoas e conectá-las e levar seu trabalho ainda mais longe, que todos os locais e casas de show em que se apresentou na primeira, vez se tornem agora arenas.

James conta que sua primeira música de trabalho do novo álbum sairá no início de fevereiro. Ela foi feita no início de 2017, mas não foi logo lançada pois “Esse tipo de coisa leva um tempinho para saber se está tudo certo, e agora está” ele conta.

E, na primavera do hemisfério norte, nosso outono, o álbum completo estará disponível.

Quando perguntado se os trechos que ele posta nas redes sociais são dicas, partes de músicas novas, Bay responde enigmático: “Talvez. E essa é a melhor resposta que eu posso te dar.”

James conta ainda que gosta muito de Kendrick Lamar, Elton John, Pink e Alessia Cara e que estava ansioso pelo show deles no Grammy.

Ele conclui dizendo que 2017 foi um ano para ficar em casa, e que agora é hora de viajar.

Fonte | Tradução e adaptação: Equipe James Bay Brasil – Não reproduzir sem os créditos.